Criofrequência

criofreuencia.jpg

A Criofrequência é uma evolução da Radiofrequência (RF). Possui uma energia de radiofrequência associada com o resfriamento da superfície em até -10°C.

Utiliza o frio no controle da temperatura da pele, o que permite aumentar a temperatura interna sem desconforto, provocando um choque térmico. Aumenta a oxigenação, a dilatação dos vasos e o metabolismo celular, desintoxicando o tecido.  

adiposo.jpg
gorduralocalizada.jpg

A célula de gordura então “expulsa” a gordura, sendo que esta é “consumida” pelo corpo como fonte de energia para queima calórica, podendo ser em uma atividade física, ou em uma dieta restritiva de carboidratos e gorduras.

A reserva de gordura dentro da célula, diante dos choques térmicos e do calor interno, “quebra-se”, passando de Triglicerídeos para Ácidos Graxos e Gliceróis, processo este conhecido como Lipólise.

O tratamento é indicado 1 vez por semana, associamos com outras terapias para potencializar o resultado. Clique aqui para conferir os pacotes promocionais!

TODAS AS INDICAÇÕES

  • Flacidez tissular

  • Gordura Localizada e Remodelagem corporal

  • Rejuvenescimento

  • Linhas de expressão

  • Fibrose pós-operatória

  • Celulite

  • Estrias

  • Adiposidade

:

Qual é a diferença entre Criofrequência e Criolipólise?

A criolipólise é um equipamento de sucção onde existe o congelamento das células de gordura sendo a criolipólise convencional (apenas congelamento) ou de contraste (aquecimento, congelamento e aquecimento) que promove a apoptose celular (morte do adipócito). A coldfrequência aumenta o metabolismo e faz o "esvaziamento" do adipócito, ou seja, ocorre a lipólise, quebra da gordura, com muito mais segurança e conforto.

Tratamentos
Flacidez 
Celulite
Gordura Localizada
Efeito Imediado
Efeito Tardio

Criofrequência

Criolipólise
X

X

X

CONTRA INDICAÇÕES:

Câncer ou metástase; Pele não íntegra; Tecido isquêmico; Trombose venosa;  Gestantes;  Condições hemorrágicas;  Lesões tuberculosas ativas;  Alteração de sensibilidade local;  Portadores de marca passo cardíaco;  Sobre próteses metálicas e de silicone;  Processos infecciosos ou inflamatórios agudos;  Próteses ou implantes sob o local da aplicação;  Implantes metálicos;  Enxertos;  Insensibilidade às variações térmicas;  Distúrbios vasculares graves; flebite;  Hipotensões;  Epífise de crescimento. A presença de próteses, material de osteossíntese, dispositivo intrauterino e implantes mamários não são contraindicações absolutas para a aplicação da técnica.

: